SOS Ribeirão Sobradinho tem sede nova


storage/imagem_noticias/noticia.143609201912185dfa39590d6e1.png

Em meio a danças, palestras, festas, alegria e comemorações, o SOS Ribeirão Sobradinho, movimento popular ambiental, reabriu, em 29 de novembro, a Casa do Ribeirão. O evento de reabertura contou com a participação da população local interessada em meio ambiente, de alunos e professores da UnB e também de agentes de governo, em Sobradinho.

A tarde de uma sexta-feira (29/11) não poderia ter sido mais alegre e em bom humor para que o SOS reinaugurasse a nova sede do movimento. A localidade da Casa é às margens do Ribeirão Sobradinho, o que gera um sentimento de pertencimento à natureza e desperta mais ainda o interesse em lutar pela causa.

 Para o presidente do SOS Ribeirão Sobradinho, Raimundo Barbosa, a reabertura tem muito significado. “Significa muito para o SOS, porque a Casa é um espaço de referência para desenvolvermos as nossas atividades de educação ambiental e de interação com escolas e com a comunidade de Sobradinho”, ressaltou o professor Raimundo.

No início do evento, a colaboradora do SOS Wilma Rodrigues e mais uma integrante do grupo Gira Cerrado Dança Circular colocaram os presentes na tarde para dançar com a natureza. Foi um momento de descontração, relaxamento e entrosamentos para o restante das atividades programada para o dia.

A professora Wilma também destaca a importância da retomada do espaço pelo projeto. “Foi um momento muito significativo para mim, porque acendeu a esperança de vê-la novamente em funcionamento. Sua criação em 2012 abriu espaço para uma série de ações em prol da sustentabilidade humana tendo como pano de fundo a ecopedagogia atuando com a comunidade e escolas públicas da cidade. Vislumbrei portanto um recomeço com um cenário de infindáveis possibilidades para o Ribeirão Sobradinho, para o Cerrado e para o meio ambiente como um todo. Isso fez meu coração transbordar!”, completou feliz Wilma.

Para alertar a todos sobre a importância da preservação ambiental, a encarregada foi a professora da Faculdade de Educação da UnB (FE) Rosângela Corrêa. Segundo ela, as pessoas devem saber exatamente o que consomem, pois muitas coisas do dia a dia estão contaminadas. "Estamos tomando veneno. O brasileiro bebe, em média, 7 litros de agrotóxico por ano", alertou para um exemplo.

UnB e a comunidade

Durante o evento, estudantes de jornalismo da Universidade de Brasília (UnB) apresentaram para os componentes do SOS produtos desenvolvidos para ajudar a causa. Ana Cláudia Gonçalves lançou a instazine, revista feita para o Instagram, a @distrito.cerrado. Para ela, fazer a primeira edição sobre o SOS Ribeirão Sobradinho teve um significado muito grande. "Foi algo que me marcou, me fez ver que a gente tem o poder de ação no mundo e que pequenas coisas que fazemos têm grandes impactos, tanto positivos quanto negativos, mas, nesse caso, acredito que foi positivo, o que me deixa muito feliz e realizada com esse projeto", disse Ana, que fez da instazine seu trabalho de conclusão de curso, sob orientação da professora Dione Moura, também presente no evento. Confira a @distrito.cerrado.

Também foi lançado o Blog do SOS Ribeirão Sobradinho, que faz parte do meu TCC (Neyrilene Costa), que tem a orientação das professoras Mariana Lopes e Dione Moura. E, para mim, essa é uma oportunidade única de mostrar para todos as iniciativas que um movimento tão importante como esse vem fazendo para a comunidade brasiliense. E poder mostrar isso por meio de palavras e ações é exercer um pouco do que aprendi como jornalista na UnB.

Conheça a história do Centro de Atividades Socioambientais (Casa do Ribeirão)

A Casa Ribeirão foi criada em 2012 em uma iniciativa conjunta. O espaço era um antigo viveiro da região que estava abandonado, por isso, a então chefe da Assessoria de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável da administração local, Wilma Rodrigues, teve a visão de transformar o local em um espaço de educação ambiental e contou com a participação da população para fazer o feito. "Foi no intuito de presentear a cidade de uma forma bonita e mobilizá-la ambientalmente", destaca a professora.

O local funcionou por cerca de três anos e meio, mas por conta das mudanças de governos, a população acabou por perder o espaço. Os colaboradores do SOS Ribeirão Sobradinho também passaram a utilizar o local como sede e não deixaram de ir atrás de retomar a Casa, o que só foi possível em 25 de outubro de 2019, com a assinatura do Termo de Concessão, que dá o direito do projeto utilizar o espaço por dois anos.

A antiga Casa Ribeirão tinha por objetivo a realização, mobilização e promoção de práticas socioeducativas que garantiriam a vida dos cidadãos e dos ecossistemas daquela região e, para isso, promoveu diversas atividades que estimulavam a sustentabilidade e conservação dos recursos naturais. E, na promoção dessas ações, contava com a participação da comunidade, de escolas e de entidades ambientais e privadas.

A retomada da Casa em 2019, com a assinatura do Termo de Concessão, vem com exatamente os mesmos objetivos e reforçando ainda mais a necessidade de revitalização do Ribeirão Sobradinho, que é tão querido por toda a população local.

Texto: Neyrilene Costa

Fotos: Ana Cláudia Gonçalves, Giullia Vênus e Neyrilene Costa

Visite o blog SOS Ribeirão Sobradinho.


Galeria de Imagens:



Fonte: SOS Ribeirão Sobradinho | Data: 18-12-2019 | Hora: 20:26:55
Atualizado: 18-12-2019 | Hora:20:26:55



Comentários: ( 1 )

  • nelson rodrigues de souza:

    Turma boa essa

    Em:18-12-2019 23:49:31

    denunciar

Assíne a Newsletter

preencha os campos necessários e fique por dentro de tudo que acontece no aliastpadua.com.br