O dia em que a terra parou - José Monte Aragão


 Li, atentamente, a música O dia em que a terra parou, de Raul Seixas. Podem até chamá-lo de louco ou outro adjetivo, mas só posso dizer que ele tinha razão. A Terra, o mundo, as pessoas, pararam. O coronavírus surgiu na China e, de lá, espalhou-se por mais de 150 países e fez parar tudo. Como disse Raul, o trabalhador, o médico, o guarda e até o ladrão não saíram para trabalhar nem roubar. O coronavírus atingiu em cheio velhas e novas raposas do Congresso Nacional. Pena! Ainda bem que estão se recuperando. Mas o povo, como bem colocou o Maluco Beleza, está em casa. Não sai, não beija, não cumprimenta, não faz nada, mas nada mesmo, a não ser lavar pratos, varrer a casa, limpar o quintal e o principal, dedicar-se mais à família, especialmente, aos curumins e aos anciãos. A Covid-19 veio para mostrar à humanidade que não se deve fazer desfeita, porque a natureza é linda, bela e complacente com os seres vivos, mas, também, cruel. Fiquemos em casa para que não sejamos atingidos, mortalmente por esse vírus tão cruel. Que a profecia de Raul Seixas não seja tão severa com os povos do mundo inteiro, especialmente, os brasileiros.--

Enviado do Gmail para celular - do Alto da Boa Vista


Galeria de Imagens:



Fonte: Jose Monte Aragão | Data: 26-03-2020 | Hora: 07:40:17
Atualizado: 26-03-2020 | Hora:07:40:17



Comentários: ( 0 )


Assíne a Newsletter

preencha os campos necessários e fique por dentro de tudo que acontece no aliastpadua.com.br